News

As vendas no varejo do Brasil, em julho, crescem mais do que o esperado

staff
25 settembre 2012

As vendas no varejo brasileiro cresceram mais do que o esperado em julho para o segundo mês consecutivo, e os dados mostraram como a demanda interna apoiou uma recuperação incipiente na sexta maior economia do mundo. O volume de vendas no varejo subiu 1,4% em julho, a partir de junho, de acordo com a agência de estatísticas do governo IBGE, acima da mediana previsão de crescimento de 1,0% em uma pesquisa realizada pela Reuters com 26 economistas.

A maior economia da América Latina baseou-se no seu mercado de grande consumo, para evitar uma recessão como no ano passado. O desemprego em baixa e as reduções de impostos do governo também impulsionaram as vendas de automóveis e eletrodomésticos nos últimos meses.

Mas a subida do nível de endividamento das famílias deixaram os economistas divididos por quanto mais tempo os consumidores brasileiros podem conduzir a maior parte do crescimento econômico.

Previsões para o crescimento de vendas no varejo mensal em julho variaram de 0,0% para um aumento de 1,9%.

Material de escritório levou ao crescimento das vendas em julho, depois de uma acentuada queda em junho, e também elevou pelo segundo mês consecutivo, as vendas de vestuário.

Dados revistos mostraram que o volume de vendas cresceu 1,6% em junho face ao mês anterior, de 1,5%, como anteriormente informado.

As vendas no varejo em julho subiram 7,1% em relação ao mesmo período do ano anterior, o IBGE acrescentou um pouco mais do que a estimativa média de 6,9 % na sondagem da Reuters. As previsões variaram de um ganho de 5,0% para um aumento de 10,0%.

 

Fonte: Thomson Reuters


Potrebbe interessarti anche